Portugal perde com Suécia

Futebol Fem. - Seleção A

Equipa das Quinas jogou olhos nos olhos com a terceira classificada do último Mundial, mas não conseguiu evitar a derrota.

A Seleção Nacional Feminina A perdeu esta terça-feira, por 0-2, com a sua congénere da Suécia, em partida realizada à porta fechada no Estádio Algarve, em Faro. Sofia Jakobsson, aos 45' +2 minutos e Fridolina Rölfo, aos 50, apontaram os golos que ditaram a derrota portuguesa, justificando o favoritismo da Suécia, quinta classificada do Ranking FIFA de seleções femininas e terceira no Mundial França-2019.

Com este resultado, Portugal deixou escapar o sétimo lugar, terminando a 27.ª edição da Algarve Cup na última posição, mas a postura da Equipa das Quinas esteve longe de ser a de uma seleção mais fraca e pequena. Pelo contrário, a armada lusa apresentou-se muito organizada, jogando olhos nos olhos com as nórdicas, sobretudo após o intervalo. Nessa fase do jogo, e já com uma desvantagem de dois golos, Portugal conseguiu bloquear e congestionar por completo a zona central, obrigando as suecas a recorrerem em esforço aos corredores laterais, e ainda espreitou com muito perigo o contra-ataque.  

O jogo também ficou marcado pela saída precoce de Joana Marchão - um choque de cabeças com uma adversária levou a lateral do Sporting CP a abandonar o relvado aos 25 minutos - e pelas alterações de Francisco Neto no ‘onze’, repetindo apenas Carole Costa e Dolores Silva em relação ao jogo anterior, frente à Bélgica, disputado no sábado.

O Selecionador Nacional aproveitou o torneio para lançar pela primeira vez as jovens Andreia Faria, Andreia Jacinto e Francisca Nazareth, e testar estratégias diferentes de jogo, já a pensar na dupla jornada de qualificação, diante de Finlânia (10 de abril) e Escócia (14 de abril). 

Carole Costa faz balanço positivo da participação lusa

Carole Costa esteve em destaque diante da Suécia, com bom sentido posicional e cortes importantes. No final do jogo, a central do Sporting CP fez um balanço positivo da prestação lusa na Algarve Cup, realçando sobretudo o processo de aprendizagem da armada lusa.

"Foram três derrotas, mas há muito além dos números. De jogo para jogo, assistimos ao crescimento da nossa equipa. Tenho a certeza que Portugal evoluiu com esta experiência e vai apresentar-se mais forte no apuramento para o Euro´2021", afirmou, garantindo que a armada lusa "vai levar para o apuramento o espírito de sacrifício e a união demonstrados frente à Suécia". "Acredito que vai tudo correr bem em abril", reforçou, a pensar nos jogos de qualificação com Finlândia e Escócia.

A jogadora valorizou, ainda, a integração de jovens talentos no grupo de trabalho às ordens de Francisco Neto:"São jovens que gostam de cá estar e que se adaptaram bem. Mostraram muita qualidade, por isso é provável que venham a jogar mais minutos na seleção principal". 

Francisco Neto em discurso direto:

“Optámos por voltar a observar novas jogadoras, quisemos experimentar. Sabíamos que ia ser difícil ter bola contra uma equipa fortíssima, e na primeira parte tivemos um trabalho defensivo muito positivo, com disponibilidade e um nível de organização alto.

Conseguimos fechar espaços, mas as suecas criaram algumas oportunidades, face ao seu volume ofensivo. Foi pena termos sofrido o golo nos descontos. Na segunda parte, conseguimos ter mais bola, jogar mais no meio-campo contrário e gerir o jogo de outra forma, criar-lhes mais dificuldades. Acho que a resposta das nossas jogadoras nessa fase foi muito positiva.

Não saio daqui satisfeito com o resultado, mas desde o primeiro dia que passámos às jogadoras que o mais importante era o processo. Se, num torneio de preparação, olharmos só para o resultado, não posso dizer que foi positivo. O nosso foco sempre foi, desde o início, a preparação para a qualificação que aí vem.

Quem acompanhou a Algarve Cup, percebe que perdemos contra uma Itália forte, que marcou aos 90+3 de penálti; que com a Bélgica perdemos 0-1 e falhámos uma grande penalidade, entre outras situações; e que hoje demos uma resposta boa na segunda parte contra a terceira classificada do último Mundial, que teve duas derrotas no torneio e disputou o sétimo lugar connosco. Fomos mais equipa hoje do que quando entrámos no torneio."

FICHA DE JOGO
27.ª edição da Algarve Cup - 3.ª jornada
Estádio Algarve - Loulé/Faro

Árbitra: Olga Zadinova (Rep. Checa)
Árbitras assistentes: Elodie Coppola (França) e Francesca di Monte (Itália)
4.ª Árbitra: Sílvia Domingos (Portugal)

Portugal 0 -2 Suécia (0-1 ao ntervalo)

Portugal: Inês Pereira (GR), Ana Borges (Matilde Fidalgo, 28'), Sílvia Rebelo, Carole Costa, Joana Marchão, Dolores Silva - Cap., Andreia Faria (Cláudia Neto, 55'), Vanessa Marques (Tatiana Pinto 81'), Andreia Norton (Carolina Mendes, 55'), Ana Leite (Fátima Pinto, 86') e Mélissa Gomes (Diana Silva, 46').
Suplentes não utilizadas: Bárbara Santos (GR), Diana Gomes, Andreia Jacinto, Joana Martins e Carlota Cristo. 
Treinador: Francisco Neto
Golos: nada a assinalar
Disciplina: Amarelos - nada a assinalar

Suécia:,Hedvig Lindhal (GR), Jonna Andersson, Hanna Glas, Magdalena Eriksson, Kosovare Aslani, Sofia Jakobsson (Madelen Janogy, 85'), Amanda Ilestedt, Caroline Seger - Cap. (Nathalie Björn 41'), Fridolina Rölfo (Lina Hurtig, 62'), Rebecka Blomqvist (Stina Blackstenius, 62') e Hanna Bennison (Filippa Angeldal, 62')   
Suplentes não utilizadas: Zecira Musovic (GR), Lotta Ökvist, Emma Kullberg, Jessica Samuelsson, Loreta Kullashi, Mimmi Larsson, Julia Karlernäs 
Treinador: Peter Gerhardsson 
Golos:  0-1 Sofia Jakobsson (45'+2'); 0-2 Fridolina Rölfo (50')
Disciplina: Amarelos -  nada a assinalar


;
;
10 de Março 2020
Foto

FPF/Diogo Pinto