Seleção A Futsal Feminina

Portugal vice-campeão europeu

Futsal Fem. - Seleção A

Derrota com a Espanha nos penáltis (4-1) após empate a três golos na final de Gondomar

(en atualização)

A Seleção Nacional A Feminina de Futsal perdeu este domingo, no Pavilhão Multiusos de Gondomar, frente à Espanha por 4-1 no desempate por pontapés de penálti, após um empate a (3-3) no tempo regulamentar e no prolongamento.

Depois de uma entrada muito bem conseguida na partida, Portugal ganhou vantagem significativa no marcador, por Ana Azevedo (12’) e Pisko (19’), mas a Espanha reduziu a desvantagem a menos de 30 segundos do intervalo, por Ale de Paz. A diferença tangencial não traduzia o nível da exibição portuguesa, notoriamente superior à formação adversária em muitos aspetos do jogo.

O golo da “Roja” pareceu dar-lhe novo alento para a segunda parte, mas Portugal mostrou grande solidariedade e foi estancando as iniciativas espanholas para atacar a baliza à guarda de Ana Catarina. No entanto, e apesar da competência demonstrada em campo pelas jogadoras portuguesas, a Espanha chegou ao empate aos 35’, novamente por Ale de Paz, levando a partida para prolongamento.

No tempo-extra, a Espanha adiantou-se pela primeira vez no marcador, aos 44’, por Maria Sanz, mas Pisko (49’) restabeleceu novamente a igualdade e o encontro foi decidido a partir da marca de grande penalidade, onde a seleção espanhola foi mais feliz.

Destaque ainda para a capitã Ana Azevedo, que foi distinguida pela UEFA como a emlhor jogadora deste Campeonato da Europa.

Luís Conceição em discurso direto:

“Fomos superiores e chegámos ao 2-0, mas a Espanha fez o 2-1 mesmo a terminar a primeira parte. Antes disso, tivemos mais três ou quatro bolas que podíamos ter convertido. Na segunda parte, já sabíamos que a Espanha iria entrar muito forte e nos ia pressionar e condicionar, sobretudo nos primeiros minutos.

O adversário acaba por passar para a frente do marcador naqueles momentos em que não conseguíamos ter tanta bola. Depois, ainda conseguimos ir buscar o empate a jogar com ‘cinco para quatro’. Queria valorizar o espetáculo que sucedeu hoje em Gondomar.

Naturalmente, não estamos satisfeitas por ter perdido. O grande objetivo era vencer, mas deixámos uma imagem que me deixou orgulhoso, tendo em conta aquilo que as atletas fizeram. A ‘lotaria’ dos penáltis só dá para um lado ou para o outro. Deu para a Espanha. No prolongamento tínhamos de ter feito um golinho naqueles três livres de 10 metros.

Conheço a Silvia [Aguete, guarda-redes da Espanha] há imensos anos e tem imensa qualidade. Não é fácil batê-la e falhámos algumas bolas isoladas perante ela em jogo jogado. Foi decisiva nos 10 metros e nos penáltis. Acaba por ser a figura da partida.

Temos de nos levantar já. Felizmente, este campeonato da Europa era de 2021. Em outubro já vamos estar a disputar o apuramento para a próxima edição, que se realizará em março [de 2023]. Esse aspeto favorece-nos um bocadinho, pois não dá muito tempo para desligar. É focar nisso. O desporto é mesmo assim. É cair, levantar e continuar a caminhar. O caminho é longo, tem tudo para ser positivo e um dia cairá para este lado.

Acima de tudo, hoje temos de valorizar duas ou três coisas. Uma delas é a imagem que deixámos do futsal feminino português. Claro que queremos ganhar, mas deixámos uma imagem tão positiva sobre a enorme qualidade das nossas jogadoras. Hoje deixámos a modalidade muito valorizada. Quem assistiu ao jogo no pavilhão e em casa vai sentir-se orgulhoso daquilo que conseguimos fazer. Demos um exemplo fantástico de qualidade, ‘fair play’ e entrega. Tomara que houvesse mais jogos destes para competir a este nível.

Jogar em casa e em Gondomar é fantástico. Pela força que nos deu, mesmo naqueles momentos em que a Espanha conseguiu dar a volta ao resultado e esteve por cima, merecia muito [a conquista do troféu]. Deu-nos energia positiva e esteve sempre a puxar por nós e a incentivar-nos. Foram incansáveis. As atletas, o público que aqui esteve e o povo português mereciam uma alegria, mas temos de adiar isto por mais algum tempo”.

Janice Silva em discurso direto:

“Fizemos um excelente jogo. Entrámos aguerridas e a primeira parte foi inteiramente nossa, havendo a lamentar apenas um ou outro erro. Na segunda parte, entrámos assim-assim. Sabíamos que ia ser um encontro decidido nos detalhes. Não fomos felizes, mas acredito que um dia vamos ser campeãs da Europa.

Peço desculpa aos portugueses, que foram inexcedíveis no apoio. Fomos melhores, mas parabéns à Espanha. Vamos ver o que há para melhorar. A Silvia [Aguete] é uma guarda-redes de topo mundial. Não tivemos sorte nos penáltis. Mais uma vez, estivemos quase”.


;

Notícias