Fernando Gomes recebe condecoração

FPF

Presidente da FPF recebeu Insígnias da Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública, atribuídas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Fernando Gomes foi esta terça-feira condecorado com as Insígnias da Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública, na gala de comemoração dos seus 10 anos à frente da Federação Portuguesa de Futebol. 

O Presidente da FPF reuniu na Cidade do Futebol figuras do desporto, amigos, família, mas também alguns membros do Governo, onde se incluiam o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e o Primeiro-Ministro, António Costa.

O Presidente da República começou por destacar a maior ligação dos portugueses com a Federação Portuguesa de Futebol e com as Seleções Nacionais. "É mérito dos portugueses, mas é mérito da liderança da Federação, do líder da Federação, da equipa que o acompanha na Federação", considerou.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou ainda elogios à liderança de Fernando Gomes, considerando que a mesma é de excelência, por ser praticada por uma pessoa com valores. "Só é o líder que é, por ser a pessoa que é e estamos aqui hoje para lhe agradecermos como líder, mas sobretudo como pessoa. Gostamos de si como pessoa e é por isso que o admiramos e acompanhamos como líder. Não era possível fazermos estes 10 anos se fosse outra pessoa, a começar na humildade. Pode acontecer a incontáveis vitórias e derrotas. É humilde!", salientou.

Antes de terminar, Marcelo Rebelo de Sousa recordou bons momentos passados com o Presidente da FPF e algumas histórias entre os dois ao longo desta década, atribuindo a condecoração a Fernando Gomes: "Fez aquilo que corresponde a uma tarefa educativa. Tem uma obra de formação de equipas jovens a pensar no futuro. de construção de uma Cidade a pensar no futuro, de edificação de estruturas a pensar no futuro, de mudança de mentalidade a pensar no futuro. Merece uma condecoração que se dá especificamente aos educadores, formadores, construtures do futuro. Vou dar uma condecoração que gostava que me tivessem dado antes do fim da minha carreira como professor: Insígnias da Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública, por aquilo que tem pela mentalidade portuguesa, pela instrução portuguesa, pela mudança de mentalidade. Merece recebê-lo em nome de Portugal e em nome dos portugueses espalhados pelo mundo".

Também António Costa deixou umas palavras ao presidente da FPF: "Uma das grandes diferenças dos últimos 10 anos é que o futebol não se construiu só em campos nem nos treinos. Construiu-se com uma grande equipa, que foi constituida por esta federação, uma equipa liderada por Fernando Gomes que mobilizou projetos mas também um conjunto de profissionais: notáveis na comunicação a mobilizar os portugueses; a conseguir colocar a Federação acima das polémicas que envolvem sempre a atividade do futebol; a acompanhar, a estudar, a ver quais são as melhores práticas e, de facto, há uma Federação Portuguesa de Futebol depois de Fernando Gomes muito diferente do que era a Federação Portuguesa de Futebol antes de Fernando Gomes. A maior diferença está na relação da Federação com os portugueses e dos portugueses com a Federação", referiu.

O Primeiro-Ministro agradeceu ainda o papel que tem tido na construção da imagem de Portugal lá fora: "quero agradecer muito particularmente ao Fernando Gomes a forma como tem ajudado a prestigiar Portugal no mundo. Não só pelos resultados desportivos, mas pela capacidade de influência nas grandes organizações internacionais, como a FIFA ou a UEFA, e a forma como conseguiu trazer para Portugal e, em alguns momentos tão difíceis, provas desportivas tão importantes. Tivemos a final de três Liga dos Campeões, a primeira Liga das Nações e, em particular nestes dois anos de pandemia, Fernando Gomes ajudou muito a sublinhar a diferença que Portugal fazia no mundo como um local seguro para viver, para trabalhar e para se vir disputar grandes provas internacionais", disse.


;