Fernando Santos e Danilo preparados para duelo com Catar

Seleção A

Fernando Santos e Danilo falaram aos jornalistas antes da partida para o Algarve

A Seleção Nacional realizou esta sexta-feira o último treino na Cidade do Futebol antes de rumar ao Algarve para defrontar sábado o Catar e na terça-feira o Luxemburgo. Após o treino, o Selecionador Nacional Fernando Santos e Danilo, jogador do PSG, de França, falaram com a imprensa.

Fernando Santos em discurso direto:

“É um jogo particular, mas não é amigável. Sabemos que há muitos jogadores carregados com muitos jogos, de competições europeias, de competições internas, portanto será feita alguma gestão. Dentro dessa gestão, parece-me normal que o Matheus e o Rafael irão a jogo, seja de início ou depois, no decorrer do jogo”

“[Sobre estreia de Diogo Costa] Ainda vou pensar, porque é um lugar mais específico. Não gosto de trocar de guarda-redes a meio de um jogo, portanto, ou entra de início ou continuará aqui, a evoluir e a crescer. É um guarda-redes de muito talento e qualidade, em quem acreditamos muito”

“Cristiano Ronaldo irá a jogo. Ele precisa de jogar. O último jogo em que jogou por inteiro foi na Liga dos Campeões [com o Villarreal, em 29 de setembro]. No último fim de semana, jogou 20 minutos. Se jogar só com o Luxemburgo, estará praticamente 15 dias sem jogar. Há uma forte probabilidade de ir a jogo com o Catar, para que os ritmos competitivos dele estejam no máximo diante do Luxemburgo”

“Quero perceber se os jogadores assimilam e colocam em prática o que é transmitido no quadro e o que é feito em treino. No outro jogo com o Catar, houve uma resposta muito boa e acredito que amanhã [sábado] será igual, porque confio muito nos meus jogadores”

Danilo em discurso direto:

"A polivalência ajuda. Não é a primeira vez que faço essas funções, é um lugar em que me sinto confortável. Estou cá para ajudar, não vejo problema em jogar a médio ou a central”

“[Matheus Nunes] Tem muita qualidade, para estar aqui é porque tem bastante qualidade. A adaptação está a ser boa é um miúdo que é bastante comunicativo e social, não tem nenhum problema de adaptação. Todos sabem acolher os novos de uma forma boa”

“Temos automatismos para assimilar devido ao pouco tempo de treino. Tentamos absorver ao máximo e é sempre importante transmitirmos esses automatismos do treino para o jogo”

“Não me surpreende porque já há vários anos que jogamos contra eles [Luxemburgo]. Desde 2016 já tinham uma boa seleção, que estava em construção, e já aí tinham criado dificuldades. Estão a crescer, com vários jogadores a nível alto. É uma seleção que vai dar que falar ainda. Não é das que possas dizer que vamos ganhar por 3-0 ou 4-0, é uma seleção organizada e que pode causar problemas ofensivos”

“[Sobre poder ser titular] Sim, todas as oportunidades são boas em contexto de seleção. Toda a gente tem ambição eu não sou exceção, se tiver oportunidade de jogar é com muito orgulho”


;
;
8 de Outubro 2021
Foto

FPF/Diogo Pinto