Bebé: "Voltei com uma felicidade tremenda"

Futsal - Seleção A

O guarda-redes quer ver mantido o espírito de equipa que, acredita, já está no ADN desta Seleção. AUDIO

A Seleção Nacional de futsal cumpre esta segunda-feira os primeiros treinos tendo em vista os jogos de qualificação diante da Noruega, agendados para os dias 12 e 14 de abril, no Pavilhão Municipal da Torre da Marinha.

A Equipa das Quinas treinou ao final da manhã na Torre da Marinha e após almoço, o guarda-redes Bebé falou ao site da Federação Portuguesa de Futebol do seu regresso aos trabalhos da Seleção depois da convocatória para o primeiro estágio da temporada em setembro de 2020 – um estágio de preparação

“Voltei com uma felicidade tremenda e uma alegria muito grande, pois gosto muito de estar aqui e de fazer parte dos escolhidos do mister Jorge Braz.”



O fpf.pt quis perceber como é para um jogador de 37 anos, que se estreou na Seleção A em 2005 e que soma 121 internacionalizações, estar de regresso e ver tantas caras novas. Bebé recordou a altura em que era dos mais novos.

“Quando me estreei em chamadas, em 2005, era dos mais novos e agora sou o segundo mais velho neste grupo. Sente-se uma nostalgia muito grande, mas também é um orgulho muito grande porque acabamos por perceber que, por um lado, estamos a dar espaço para a nova geração e, por outro, a contribuir para que haja uma melhor integração dos elementos mais novos – o Silvestre, o [Tomás] Paçó, o Zicky…Tenho mais 17 anos que o Zicky e à hora de almoço estava a pensar nisso…”


O guarda-redes campeão da Europa em 2018 não tem dúvidas que o futuro destes jovens é “muito promissor”.

“Vejo um futuro muito promissor e no treino [desta manhã] estava a comentar isso mesmo com o Vítor Hugo. Estes mais novos acabam por ser jogadores que vêm das seleções de base – algo que não havia quando eu tinha a idade deles – e são atletas que vêm muito mais preparados e com um conhecimento muito melhor do jogo e eu vejo um futuro muito promissor. Eles são ‘cinco estrelas’ e tratam os mais velhos com um respeito muito grande… Prevejo um futuro grande para esta Seleção.”

 Bebé não esteve presente nos encontros com a Polónia e com a República Checa, mas acompanhou os jogos e dá a receita para Portugal manter a liderança no Grupo 8.

“Houve dois resultados que foram aquilo que nós esperávamos, mas a verdade é que soubemos dar a volta à situação e, no último jogo, acabámos por ganhar de forma clara – nem houve contestação. Aquilo que nós temos de fazer é, como o mister diz: Fazer as coisas simples, bem feitas! O mais difícil às vezes é jogar contra estas seleções que, em termos teóricos são mais fracas do que nós, mas acabam por equilibrar o jogo em termos físicos e por dificultar um bocado jogo. Acabam por descaracterizar muito o jogo, com muitas bolas para a frente – do guarda-redes para o pivô – e isso cria-nos dificuldades, mas o mais importante daquilo que nós temos de fazer é isso mesmo: Fazer as coisas simples e bem feitas!”, reiterou. “Depois é manter esta união, este sacrifício e, principalmente, este espírito de equipa que, eu diria, já no ADN desta Seleção.”

Depois da disputa da Taça da Liga Placard e de mais uma jornada, num momento em que se vai aproximando o momento das decisões da Liga Placard, é natural que haja algum cansaço, mas Bebé sente que o grupo está bem.

 “Neste primeiro treino senti todo o grupo muito disponível e muito tranquilo. Apesar de estarmos quase a chegar à reta final da época, sinto os jogadores muito bem fisicamente.”

Os encontros com a Noruega vão realizar-se com um intervalo de dois dias. O guardião vê com bons olhos a possibilidade de a equipa ter mais tempo para preparar essas duas partidas, independentemente de depois ter menos de recuperação entre jogos.

“Acho que existem vantagens. Como o espaço de Seleção é muito curto e o tempo em que estamos juntos é pouco, acabamos muitas vezes por não assimilar da melhor forma – ou de uma forma rápida – aquilo que nós temos de fazer e que os treinadores nos pedem. Tendo um estágio mais longo, temos mais tempo para preparar essas situações. Também é bom para o pessoal que vem pela primeira vez aprender e saber aquilo que a equipa faz, pois dá-lhes um tempo de assimilação muito grande. Acho que neste tipo de estágios quem sai beneficiado somos nós.”



Com o Mundial no início da próxima época e o Europeu no início de 2022, Bebé garante que quer continuar a dar dores de cabeça a Jorge Braz na altura de convocar os guarda-redes.

“Trabalho sempre com o objetivo de estar aqui. Tenho um prazer muito grande de estar aqui e o meu objetivo é mesmo atrapalhar as escolhas do mister Jorge Braz e da equipa técnica, por que vou fazer tudo para estar no Mundial e no Europeu. Se depender de mim estarei lá, mas sei que os meus colegas também têm muita qualidade… Aquilo que posso dizer é que vou trabalhar arduamente e cegamente para poder estar no lote dos convocados finais.
 

Os jogos com a Noruega agendados para dias 12 e 14 de abril (segunda e quarta-feira), no Pavilhão Municipal da Torre da Marinha, e têm o pontapé de saída agendado para as 18h30 e 18h00, respetivamente,

Clique aqui para aceder ao dossiê de imprensa que inclui o programa da Seleção.

Eis a lista de convocados:

Guarda-redes: Bebé (CR Leões Porto Salvo), Edu (Vina Albali Valdepeñas) e Vítor Hugo (SC Braga/AAUM);

Fixos: André Coelho (FC Barcelona), João Matos (Sporting CP), Nilson (SL Benfica) e Tomás Paçó (Sporting) CP;

Alas: Bruno Coelho (ACCS Futsal C Asnieres – Villeneuve), Mário Freitas (AD Fundão), Miguel Ângelo (SC Braga/AAUM), Pauleta (Sporting CP), Silvestre (SL Benfica) e Tiago Brito (SL Benfica);

Universais: Afonso (SL Benfica), Erick (Sporting CP) e Fábio Cecílio (SL Benfica);

Pivôs: André Galvão (CR Leões Porto Salvo) e Zicky (Sporting CP).


;

Notícias