18.ª edição (1957/58) – FC Porto

Taça de Portugal Placard

Os dragões conquistam a Taça de Portugal pela segunda vez ao derrotarem as águias, por 1-0, com tento de Hernâni que já tinha bisado na final de 1956.

15.06.1958, Jamor – FC Porto 1-0 SL Benfica
Hernâni (1-0)

Dragões conquistam a sua segunda Taça de Portugal
O FC Porto conquista a sua segunda Taça de Portugal e vinga a derrota de 1953 diante do Benfica - naquela que foi a sua primeira presença na final da Taça. Hernâni, que bisou na final de 1956, volta a vestir a pele de herói ao apontar o tento solitário da partida. Hernâni apontou os três golos nas duas primeiras conquistas azuis e brancas na prova.


Foto: Diário de Lisboa* de 16 de junho de 1958

O FC Porto, vice-campeão em igualdade pontual com o Sporting e com sete pontos de vantagem sobre o Benfica, apresentava-se na Taça de Portugal com um novo treinador. ‘Yustricht’ conquistara a dobradinha em 1953, colocando fim a um jejum de 15 temporadas, mas várias polémicas e eventuais conflitos com vários jogadores portistas, entre os quais Hernâni - o técnico era conhecido por utilizar métodos pouco ortodoxos na forma como disciplinar o plantel e terá mesmo agredido o craque dos dragões -, levaram à sua saída e à contratação de Otto Bumbel ao Lusitano de Évora.


Foto: DR, Revista Flama

Nos bancos do Jamor, Otto Bumbel superiorizou-se a Otto Glória num jogo que a segunda edição do Diário de Lisboa* de 15 de junho considera ter sido “disputado com excessiva vivacidade”. Aos oito minutos, Hernâni com “um forte 'tiro' que Bastos não pôde defender” apontou o tento solitário da partida. O Benfica ficou a zero, algo que só aconteceu às águias em finais de Taça de Portugal nesta edição. Os encarnados perdiam pela segunda vez numa final - pela primeira vez após terem triunfado nas anteriores nove finais em que estiveram presente.


Foto: DR. Da esquerda para a direita - em cima: Virgílio Mendes, Barbosa, Miguel Arcanjo, Ângelo Sarmento, Albano Sarmento e Manuel Pinho. Em baixo: Carlos Duarte, Gastão, Osvaldo Silva, Hernâni e Perdigão.

Esta edição da Taça ficou também marcada pela primeira presença de equipas do Ultramar (ver texto em baixo), com o FC Porto a bater o Desportivo de Lourenço Marques [Desportivo de Maputo, de Moçambique] (6-2 e 9-1) e o Benfica a derrotar o Ferrovia [Ferroviário Huíla], de Angola] (6-2 e 11-1) numa eliminatória que antecedeu a final – registada na publicação do “Primeiro Centenário do Futebol Português” como segundas meias-finais com cubes do Ultramar.


Foto: DR - Virgílio ergueu o troféu pela segunda vez no Jamor

Antes, os dragões vingaram a perda do título para o campeão Sporting - o derradeiro troféu ganho por José Travassos (o último dos violinos a deixar de jogar) -, ao vencerem 3-0 depois de um empate a duas bolas em Avalade nas “primeiras” meias-finais. Os portistas também eliminaram o Marítimo (3-1 e 1-1) e o SC Braga (3-0 e 1-3).

Nas “primeiras” meias-finais, o Benfica, o detentor do troféu, eliminou o Barreirense (0-1 e 3-1) depois de ter deixado pelo caminho a Académica (1-0 e 2-0) e o Belenenses (3-1) de Matateu - segundo melhor marcador do Campeonato em igualdade com José Águas (22 golos) e menos um tento que Arsénio Duarte (CUF).
 


Foto: DR - Carlos Duarte e Osvaldo Silva com o troféu

Presença africana na Taça de Portugal
A partir desta edição da Taça e até 1975 (em 18 edições) marcaram presença na Taça de Portugal emblemas africanos das províncias ultramarinas – divisão administrativa criada pelo Estado Novo e atribuído por este às colónias portuguesas – Angola, Guiné, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Macau, Estado da Índia e Timor.

Os campeões de Angola e Moçambique, o Ferrovia e o Lourenço Marques, foram os primeiros clubes das colónias ultramarinas portuguesas a disputar a final da Taça. Entraram na competição numas “segundas” meias-finais. As duas equipas jogaram no Jamor, antes da final da Taça, uma partida que terminou empatada a uma bola.

Neste ano
A RTP transmite pela primeira vez um jogo de futebol a 9 de fevereiro de 1958. O encontro foi de preparação e opôs o Sporting CP ao Áustria de Viena, no Estádio José Alvalade.

Foto: DR - A primeira transmissão de um jogo de futebol em Portugal. Tratou-se de um teste em Alvalade.

A 8 de junho Américo Tomás ganha as eleições presidenciais a Humberto Delgado. O apoio popular maciço deste último candidato face ao candidato de António Oliveira Salazar, que foi eleito com 76,4% dos votos, desde logo levantou suspeitas generalizadas de uma fraude leitoral.

Cerca de dois meses depois, a 14 de agosto, Portugal acolhe pela primeira vez um grande prémio de Fórmula 1. O britânico Stirling Moss venceu então no Circuito Urbano da Boavista, no Porto.

Sete dias antes da final da Taça teve início na Suécia, o Campeonato do Mundo – o primeiro conquistado pelo Brasil que já contava com Pelé que tinha apenas 17 anos. A formação canarinha bateu a Suécia na final disputada a 29 de junho de 1958, por 5-2, com golos de Vavá (2), Pelé (2) e Zagallo.

No mês seguinte, em agosto de 1958, nasceriam dois dos maiores ícones da música Pop, Madonna e Michael Jackson.

* - Casa Comum, desenvolvido por Fundação Mário Soares

Equipas
Árbitro: Álvaro Rodrigues
FC Porto: Manuel Pinho, Virgílio Mendes - Cap,, Miguel Arcanjo, António Barbosa, Albano Sarmento, Ângelo Sarmento, Carlos Duarte, Gastão Gonçalves, Osvaldo Silva, Hernâni Silva e Fernando Perdigão.
Treinador: Otto Bumbel
Benfica: José Bastos, Francisco Calado - Cap., Manuel Serra, José Martins ‘Zezinho’, Vasco Pegado, Mário João, Palmeiro Antunes, Mário Coluna, José Águas, Azevedo, José Maria Matos.
Treinador: Otto Glória


;

Notícias