13.ª edição (1952/53) – Benfica

Taça de Portugal Placard

O primeiro Benfica - FC Porto - o encontro mais disputado em finais de Taça - registou-se apenas na 13.ª edição. As águias golearam (5-0) e conquistaram a prova pela quarta vez consecutiva.

28.06.1953, Jamor – SL Benfica 5-0 FC Porto
Rogério ‘Pipi’ (1-0), Arsénio (2-0), José Águas (3-0), Arsénio (4-0), Arsénio (5-0)

Quatro taças consecutivas e nova goelada na final
As águias conquistam a sua quarta Taça consecutiva - um feito único na prova - naquela que seria a primeira final do FC Porto, a segunda de uma equipa do norte do país (o Vitória SC disputou a final em 1941/42).

SL Benfica e FC Porto jogavam em 1953 a primeira final frente a frente. As duas equipas viriam a encontrar-se muitas mais vezes - trata-se da final mais vezes repetida -, mas nunca uma partida entre os dois rivais teve uma diferença tão grande no marcador. As águias, vice-campeãs, venceram por uma vantagem clara (5-0) diante do quarto classificado do Campeonato.

Em bancos opostos estavam dois amigos, Ribeiro dos Reis e Cândido de Oliveira que, juntamente com Vicente Melo, fundaram oito anos antes o Jornal A Bola.

Rogério ‘Pipi’ apontou o primeiro golo do encontro naquele que foi o seu 15.º golo em finais - um recorde que ainda hoje perdura (ver texto em baixo) -, mas foi Arsénio, com um hat-trick, a brilhar naquela que seria a pior derrota de sempre do FC Porto em finais. Em quatro minutos o Benfica chegou à vantagem de 3-0, conforme conta a 3.ª edição do Diário de Lisboa* de 28 de junho de 1953.


Foto: Acervo SL Benfica

Para chegar ao Jamor, o Benfica eliminou o Vitória SC (3-1), Barreirense (1-0 e 6-0), que tinha deixado pelo caminho o Belenenses (2-1 e 1-0) de Matateu (melhor goleador do Campeonato com 29 golos - mais três que o sportinguista João Martins e mais quatro que o benfiquista José Águas), e o Vitória FC (3-2 e 5-2).

O FC Porto eliminou nas meias-finais o Lusitano de Évora (4-1 e 0-1) - o clube alentejano passou a eliminatória diante do tri-campeão Sporting de Randolph Galloway (o primeiro treinador a conseguir esse feito), pois os leões desistiram da prova (falta de comparência após um empate a duas bolas em Lisboa) por causa da sua participação na Taça Latina, onde perderiam diante do Nice e da Juventus. Antes, os dragões tinham deixado pelo caminho o Marítimo (0-0 e 3-2) e o Boavista (0-1 e 6-0).

Recorde de Rogério ‘Pipi’
Rogério Lantres de Carvalho, mais conhecido como Rogério ‘Pipi’ apontou 47 golos em 47 jogos na Taça. Há jogadores com melhor registo na prova, mas nenhum conseguiu o feito de marcar 15 golos em finais. Rogério disputou seis finais – venceu e marcou em todas elas: um ao Vitória FC [5-1 em 1943], cinco ao Estoril [8-0 em 1944], um ao Atlético CP [2-1 em 1949], quatro à Académica [5-1 em 1951], três ao Sporting [5-4] e um ao FC Porto [5-0 em 1953].

Neste ano
Em 1953 disputa-se no Estoril o Open de Portugal, um dos mais antigos torneios de golfe do calendário europeu.

A 14 de janeiro o Marechal Josip Tito torna-se presidente da Jugoslávia.

A 2 de junho é coroada Isabel II como Rainha de Inglaterra. A “Ilustração Portugueza” de 9 de setembro de 1953 mostra as imagens da coroação.

Quase um mês depois da final da Taça, termina a Guerra da Coreia com a assinatura do armistício de Panmujom, a 27 de julho de 1953, no qual de previa a criação de uma zona de segurança de quatro quilómetros em torno do paralelo 38, sob o controlo das Nações Unidas.

Equipas
Árbitro: Evaristo dos Santos
Benfica: José Bastos, Artur Santos, Joaquim Fernandes - Cap., Francisco Moreira, Félix Antunes, Ângelo Martins, José Rosário, Arsénio Duarte, José Águas, Rogério Carvalho ‘Pipi’, Manuel Vieira.
Treinador: Ribeiro dos Reis
FC Porto: Barrigana, Virgílio Mendes, Ângelo Carvalho - Cap., Eleutério, Correia, Pinto Vieira, Carlos Duarte, António Teixeira, Monteiro da Costa, José Maria e Carlos Vieira.
Treinador: Cândido Oliveira


;
;
29 de Julho 2020
Foto

"O Benfica", Acervo SL Benfica

Notícias